Skip navigation


CAMILLO SITTE

 

Arquiteto vienense – diretor da Escola Imperial e Real de Artes; estudou arqueologia medieval e renascentista/era filho de arquiteto; pioneiro do urbanismo culturalista = ponto de vista da qualidade de vida no desenho da cidade; escreveu um livro no final do séc. XIX = critica a cidade industrial, o urbanismo que estava sendo feito, sendo implantado desde Haussmann (urbanismo técnico); é considerado o primeiro “esteta” = pensador que olha para a cidade do passado sob o ponto de vista estético; tem fascínio pela cidade medieval, por como as pessoas se relacionavam,as feiras, os bairros (a relação cidade X pessoas) = na sua visão, esta relação foi perdida na cidade industrial = a dimensão da cidade não comporta os hábitos de convivência; faz crítica às intervenções de Haussmann = onde não existe preocupação com o antigo, com a preservação (isso ocorre 40 anos após Haussmann).

 

Urbanização da expansão da Ringstrasse (Viena)

Área além da muralha – Governo implanta expansão nesta área =  a idéia é fazer intervenções nos moldes de Haussmann (Paris) = SITTE escreve livro como protesto; Sitte procura qualidade de vida; é contra demolição dos antigos núcleos, dos espaços simbólicos = procura qualidade de vida = é contra espaços diferenciados (a história dá exemplo do que era a boa cidade) = repulsa ao industrialismo.

 

Em 1889, Sitte escreve o livro “A construção das cidades segundo seus princípios artísticos”, onde analisa os espaços das cidades medievais e antigas = um elemento sempre se repete – a praça. Estuda os padrões morfológicos do espaço urbano – é contra as cidades modernas, falta de princípios estéticos, desprovidas de espaços; estuda praças da antiguidade e destaca elementos morfológicos que se repetem = faz análise dos espaços da praça; cena urbana = criar um cenário urbano, componente teatral dos espaços simbólicos; “agorafobia” = as pessoas deixam de usar o espaço da praça por causa do seu tamanha; falta de conforto, de aconchego; espacialidade; espaço público = praça = símbolo da expressão do ideal de comunidade = lugar público; praças antigas – ágora grega; resgata a beleza da cidade = Renascimento – a visão da cidade quebrou o espaço enquanto espaço simbólico = semente do que seria o urbanismo moderno; a técnica se sobrepôs à qualidade dos espaços; busca padrões já existentes; seu livro = baseia-se no conceito de simetria de Vitrúvio/o mais importante nas cidades é a simetria no sentido de harmonia = proporções que se repetem; observou os espaços = espaço urbano da praça = qualidade estética dos espaços; seus princípios artísticos: relação adequada entre as construções, centro livre, efeito côncavo, coesão das praças, dimensionamento e forma das praças, irregularidade das praças, o conjunto das praças.

One Comment

  1. De acordo com Choay, Sitte não é contra a modernização da cidade, ao contrário ele é a favor, no entanto ele é contra a falta de estética da cidade moderna, estas deveriam quebrar a inflexibilidade geométrica e o urbanista deveria seguir seus instintos.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: