Skip navigation


 conteúdo da página arquitetando    http://bhpbrasil.spaces.live.com/

 

ARQUITETURA CONCEITUAL – Steven Holl

 

A arquitetura conceitual envolve mais subjetividade do que o padrão e está relacionada como a arte pós-moderna, exprimindo um pensamento, uma filosofia. Esta arquitetura está diretamente à subjetividade do arquiteto. Steven Holl nasceu 1947 em Bremerton, Washington. Estudou em Londres e ganhou reconhecimento, associando-se à filosofia para conceituar suas teorias e seus projetos, criando assim, a corrente definida como ‘fenomenológica”.

Nesta corrente o arquiteto está mais preocupado em produzir sensações do que responder ao programa ou a questões técnicas. O espaço deve produzir no usuário sensações. Para isso utiliza recursos como luz, cor, texturas diferente em cada ambientes – trabalhando os elementos que possam provocar essas sensações (tenta diferenciar as sensações em cada ambiente – marcando de alguma forma, cada um deles).

Ocorre a valorização da luz. O ambiente deve ser clean, e estar associado ao ‘fenômeno’ e à paisagem exterior.

As primeiras investigações da abordagem são tema da moradia – a relação da moradia com o usuário, passa a ser muito utilizada na fenomenologia (Qual a função do habitar? Quais as funções do projeto? Quais são as sensações produzidas por ele?).

 

No projeto, o arquiteto ‘trabalha’ com os espaços onde o indivíduo vive. A forma, deriva do conceito do projeto (trabalha com o que representa o espaço para a pessoa = cada indivíduo é um = cada um com seu ambiente particular).

 

Algumas obras baseadas na filosofia da Arquitetura Conceitual:

. Moradia mínima, em Hudson, NY, 1978

. Casa Metz Statenisland, NY, 1980 (trabalha com arquétipos, formas que se fixaram na memória coletiva, que as pessoas reconhecem e conseguem identificar)

. Cohen Apartment, NY, 1983 (trabalha com cor e luz. A porta pode ser uma porta parede pivotante; os elementos mudam as sensações dos ambientes)

. Casa Van Zandt, NY, 1983 (é considerada mais purista)

. Casa Berkowitz, Odgis, Massachusetts, 1984 (trabalha com caixotes, balcão; a estrutura corre por fora – é purista, concreto aparente e madeira)

. Galeria Storefront for Art, NY

. Makuhari Housing in Japan

. Capela Santo Ignacio, 1997

. Cranbrook Institute of University Michigan

. Museu de Arte Contemporânea (utiliza linguagem mais contemporânea com material reflexivo)

. Museu de Belas Artes Washington, 2001 – KIASMA

. Estação de Tratamento de Água, EUA

. Ampliação do Colégio de Arquitetura Minneapolis

. Dormitório de Universidade (busca trabalhar mais com os elementos para dar ênfase e qualidade aos espaços internos – corredor comprido com luz no fundo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: